Blog

Fisioterapia nas Empresas

A RESOLUÇÃO Nº465, de 20 de maio de 2016, resolve quanto a Especialidade Profissional de Fisioterapia do Trabalho. Desta forma, o Conselho de Classe - COFITTO, vem discriminando as áreas de domínio referente a Fisioterapia do Trabalho. Cabe salientar, que não basta ter Pós-Graduação, ou Especialização na matéria, mas para ser titulado perante regulamentação da profissão é necessário fazer a prova de proficiência perante o conselho federal para regulamentar esta titulação.
Desta forma, é importante que as empresas, tomem conhecimento se o profissional que estão contratando está legalmente habilitado para o exercício desta especialidade, sendo uma forma de resguardo para a empresa e de crescimento e regulamentação profissional, ambos os lados ganham com isso.
E nesta resolução está claro o papel do Fisioterapeuta do Trabalho nas empresas, corporações ou afins:
- Realizar avaliação e diagnostico cinésio-funcional, para exames admissionais, complementares e demissionais. Posicionando-se ainda frente as demandas de reabilitação profissional, pericias judiciais e qualquer demanda relativa as pertinências da fisioterapia trabalhista.
- Utilizar qualquer conduta de proficiência da fisioterapia em âmbito ambulatorial, nas dependências das empresas, ou seja, qualquer agente cinesiomecanicoterapêutico;
- Realizar Análise Ergonômica do Trabalho – AET, de acordo com as leis vigentes e conhecimentos específicos na matéria, além dos bancos da academia. Ainda efetivar comitês ou programas de ergonomia, de acordo com as premissas e finalidades que realmente atinjam as demandas da corporação;
- Fazer parte da implantação, ou manutenção da cultura em saúde e segurança no trabalho empresarial, entrando com ações multidisciplinares, em trabalhos técnicos diretos com a CIPA, SESMT, ou gestão respectiva as ações que se entendem por saúde do trabalhador;
- Auxiliar diretamente em processos de auditorias, certificações e demandas que sejam necessárias no âmbito laboral;
- Outras atribuições.
Em suma, somos multifuncionais e importantes no contexto empresarial, carregamos conhecimentos oriundos de base acadêmica, como anatomia, fisiologia, biomecânica e outros, que nos auxiliam num primeiro momento.
Sobretudo, é necessário que sejam aperfeiçoadas as matérias, em especial: saúde do trabalhador, legislação vigente, sistemas de gestão, organização dos processos de trabalho, aspectos psicossociais e cognitivos relacionados ao trabalho, estudo de métodos, humanização, ética e todas as que o profissional se sentir carente para execução com maestria.
O Fisioterapeuta do Trabalho, tem um ciclo de estudos contínuos, necessários as inovações, aos entendimentos legais, as apropriações que somente a prática, relacionada a teoria terão efetividade em uma atuação de sucesso.
Precisamos estar constantemente em estudos, práticas e renovações de conhecimento. Nosso potencial vai além dos já conhecidos, a Fisioterapia do Trabalho tem um campo vasto para atuação, mas ainda com pouquíssimos profissionais capacitados, habilitados e comprometidos com a prática desta especialidade.

Fale com a advogada

Entre em contato conosco para obter mais informações sobre nossos serviços.